6.11.06

...

Todos os dias tenho necessidade de ficar sozinha nem que seja 10 minutos fechada na casa de banho. Normalmente depois o miúdo estar já deitado. É aquele o momento de respirar fundo e passar a outra etapa da noite. A nossa. A minha encostada no colo dele ou simplesmente com os pés no joelhos dele (não tão frequente que ele não gosta, caramba!)

O Sábado de manhã agora também é meu e só meu. Faço as camas, apanho brinquedos e revistas, arrumo sapatos, penso no almoço. Espero por eles e vamos tomar café. É bom ter um sábado de manhã e este vai-vem pela casa é para mim, incompreensivelmente para muitos, eu sei , descanso.

Já outras formas de estar “a sós” parecem ter deixado de me cativar. Ler, por exemplo, deixa-me demasiado a sós. Perdi, momentaneamente, espero, a capacidade de me isolar do mundo e entrar no mundo do autor. Não sei explicar como nem porquê e nem interessa. Os livros são desde hà muito uma companhia especial que hoje parecem ser os tais amigos que se vão afastando (nós ou eles?)

Lembro-me, embora na altura me tenha esquecido, da primeira vez pós-parto em que sai de casa sozinha para um jantar de amigAs . Quando pelo telefone me perguntaram: “então, não vens?” Olhei para o relógio, olhei para eles na cozinha e sem complexos nem remorsos arranjei-me e saí porta fora. “Estou a ir!” Momentos assim, a sós com outros, já não acontecem tantas vezes mas continuam a ser momentos de descanso para mim.

Gosto de estar sozinha embora para mim o “estar sozinha” seja sempre um desafio. A minha personalidade não o admite para além dos limites razoáveis sob pena de entrar em estrado semi-depressivo, ou seja, chata, lamechas do tipo “ai que a mim ninguém me liga”. Preciso de estar “a sós” mas custa-me pensar-me só. Nunca me imaginei a viver sozinha e não acredito que tivesse capacidade para tal.

6 comentários:

LP disse...

Pois eu adoro estar sozinha (desde que não me sinta só) e aproveito todos os momentos: na casa-de-banho e à noite com as crianças deitadas e com ele no computador. Vivi sozinha e tive imensa dificuldade em adaptar-me à vida a dois. Agora consigo arranjar o meu espaço numa casa cheia mas não é fácil.

Costinhas disse...

Para mim é fundamental os momentos a sós diários. Nem que sejam simplesmente a vegetar!

Equilibra-me os eixos.

Beijos!

Ana Sousa disse...

E eu ainda não consegui fazer isso... e a falta que me faz... a ideia da casa de banho é muito boa...

Anónimo disse...

Li e achei uma ternura...
O colo, os pés nos joelhos,a casa de banho, os livros que até já não são ou parecem não ser aquilo que eram...
Tudo isto não será porque o B. existe e mais um ser está para chegar?
Com tantas emoções... é mesmo necessário um tempinho para pensar na FELICIDADE!!!

Zuza disse...

:)

eu neste momento é do que mais preciso!
já me prometeu um fds sozinha.

morei "sozinha" durante quase um ano. digamos é q não dormia sozinha :P.
a cadela é uma EXCELENTE companhia.

(o meu tb não gosta de pés me cima dele. nem que eu tenha acabado de tomar banho :DD)

scaf disse...

Por isso é que anseio tanto mudar de casa....acho que ia poder ter momentos desses a sós. Preciso tanto deles.

Blog Archive