1.3.07

fomos às compras

à entrada a colecção completa: lençóis, toalhas, roupões almofadas... tudo como o boneco que pouco precisa para chamar a atenção dos seus fieis admiradores, o noddy!

quero, quero uma almofada do noddy para pôr na minha cama!

Não costuma fazer fitas pedinchonas, aliás, podemos dizer que não as faz nunca. Gosta de ir connosco às compras e entretém-se a pôr no carro as coisas que decidimos levar. Há sempre qualquer coisa que é para ele – cerelac, leite, bolachas, etc - e isso tem sido suficiente para ele. Ontem queria a almofado do noddy e foi por pouco que a não comprámos (às vezes o entusiasmos dos pais é tão grande ou maior que o dos filhos). Mas o preço da coisa aliado a sua pouca estética fez-nos empurrar a decisão (eu poderia mesmo dizer "empurrar com a barriga").

no fim das compras já vamos ver se temos dinheiro ou não para comprar esta almofada!

Ele aceitou. Acredita e confia em nós e isso tem-se revelado em muitas situações completamente diferentes (e nós fazemos por não falhar). Avançámos com o carrinho e com ele lá dentro. Na secção dos frios lembro-me de uma coisa que faz algum tempo queria compra e que sei que ele vai gostar. Pasteis de nata pré cozinhados!

queres?
quero, quero pasteles de nata!!
olha, mas se nós levamos os pasteis já não temos dinheiro para levar a almofada!

Pára tudo?! O pai olha-me incrédulo e eu própria não sei onde a conversa nos vai levar. “Deixa ver como ele reage” digo entre dentes.

Mas eu quero a almofada do noddy!
Olha, mas podemos levar noutro dia e hoje levamos os pasteis!
Está bem, noutro dia levamos. Vamos levar os pasteles de nata, pasteles de nata!

Às vezes não sei se as voltas que lhe damos à cabeça e aos desejos são as mais pedagógicas ou não. Não sei se isto que aqui relato é correcto do ponto de vista dos pedopsicólogos mas que nos saiu muito mais barato saiu. A ele não parece ter feito moça até porque o assunto nunca mais veio à baila. Esperemos que da próxima vez o tal expositor já lá não esteja!

10 comentários:

Carla Granja disse...

Podes sempre pedir à mãe do T. que ela deve-te arranjar uma no meio da tralha do Noddy que tem lá em casa...

Cool Mum disse...

Gostei de ler.
Eles têm de dar valor às coisas e ao dinheiro.
Não acho que seja anti-nada. Especialmente quando se cedeu uma ou outra vez e os objectos do capricho chegaram a casa e elas nem se lembravam deles.
Com eles um pouco mais velhas, comecei a dizer para 'pôr na lista' dos anos ou do Natal e, mais uma vez se verifica como os entusiasmos são efémeros.
(desculpa o testamento)
:)

Zuza disse...

same here.
e quero lá saber se não é pedagógico! comigo foi assim e não fiquei nada traumatizada. Nunca dou nada só por dar! Qdo vamos às compras e em 90% das vezes vou sozinha com as duas já sabem que é para comprar o que eu quero. Claro que se na secção dos iogurtes me pedirem um "fora da lista" eu dou. mas não mais do que isso.
Há dias especiais e esses trazem prendas especiais. Dar só por dar desculpem mas não dou. Depois é vê-los no Natal e nos aniversários a não ligarem puto ao que recebem... pudera... estão habituados a ter tudo nos outros dias!

Gosto de fazer surpresas. De registar algo que ela gostou e depois num dia especial lhe oferecer isso! para que perceba que eu sei do que ela gosta e que qdo merece tb lhe fazemos as vontades.
Há dias quem que sim, as deixamos ir às compras e escolher uma coisa para ela. Dentro de um orçamento simples que lhe explicamos. Pega um mil coisas e vai devolvendo à medida que vai encontrando outras. No fim é fácil perceber o que ela gosta mesmo e é isso, e só isso, que lhe compramos.
Raramente chora ou faz birra. Mas se fizer, nesse dia, então, não compramos nada.

(biiii estiquei-me :DD)

scaf disse...

Realmente zuza, podias ir escrever textos bonitos para o teu blog não? :P

Carlinha disse...

A minha anda numa fase que quer tudo e mais alguma coisa quando vai ao supermercado. Começa cedo a pedinchar
: )

Anónimo disse...

Tb não me parece nada desapropriado, eu faço o mesmo com o D. Nos primeiros tempos houve umas birras, mas agora não. vai comigo às compras e enquanto ando perto ele fica no corredor dos brinquedos a namora-los, depois se quiser deixo-o levar algo "de consolo" e normalmente tb é algo comestivel: ou uma sobremesa, uma lanche especial, um iogurte com pintarolas ultra-nojento...

ursitazul

sm disse...

A mim parece-me apropriado!!

***

Karla disse...

Não acho nada mal, muito pelo contrário. Aliás só há uma coisa que dou por dar e sempre que tenho oportunidade disso, que são livros (puzzles também mas muito menos). A isso não resisto. De resto não tenho problemas em negar. Até porque sei que dos livros ela gosta MESMO (e dos puzzles), enquanto ao resto não liga muito. :)

AnaBond disse...

faço o mesmo, e estou com a zuza... totalmente.
acho que eles têm de dar valor às coisas. nos dias que correm está tudo demasiado corriqueiro.

Costinhas disse...

Mais uma que concorda.

Beijocas

Blog Archive