3.3.10

a três

Perguntam-me muitas vezes como é ser mãe de três. É fácil. Não sei se é por o mais novo ser "a" tranquilidade ou é é por o mais velho estar na fazer "orgulhosamente crescido". Ontem subiu, despiu-se, tomou banho e vestiu-se tudo sozinho. É claro que eu não fico sentada no sofá a limar as unhas. A três há sempre um a quem acudir. Uma fralda para trocar, uma chupeta para encontrar. Um que tem fome ou o outro que tem sede. Um que quer contar o que fez durante o dia, o outro que quer uma bolacha e mais uma cólica para acalmar. A três estamos sempre a mexer. O que me custa mais são as "ausências". O "não, filho, não vi" quando me pergunta se fiquei a ver o treino de futebol e os golos e as defesas. Maldita chuva que não nos deixa e o frio, esse então! Custam-me os ralhetes que mesmo não querendo tenho de dar porque o mais novo não é de borracha e não posso deixar que o abane daquela forma e muito menos que se sente em cima dele. Sim, o "do meio". A três somos uma excitação. Porque todos o querem levar para a escola para mostrar aos amigos e às educadoras. A três não é muito mais dificil do que a dois. Acho mesmo que é mais fácil do que de um passar a dois. Se bem que agora tudo é mais simples. Agora faz-se o jantar à hora que se quer e fazem-se as compras à hora das donas-de-casa. Adoro fazer comprar na mercearia, na peixaria à hora das donas-de-casa, é tão mais saudável. É tão mais, sei lá, tudo! Agora fazem-se as camas e apanham-se brinquedos do chão depois de os deixar na escola e, claro, a hora dos os deixar e de os ir buscar aproximou-se muito mais. Agora, é fácil depois teremos de aprender a contornar algumas coisas.

12 comentários:

Mar disse...

Vou deixar de te ler.

Dás-me imensa vontade de engravidar agora, imediatamente, e não pode mesmo ser! ;)

LP disse...

Também tive a mesma sensação quando passei de 2 para 3 - de 1 para 2 foi muito mais difícil mas o meu 2º foi um bebé muito especial...

Sinto é que o cansaço é maior a longo prazo. Há sempre pelo menos um que acorda a meio da noite (quando não são 2 ou 3), há sempre pelo menos um com birras, etc. E depois já não há a mesma facilidade de os deixarmos com alguém termos algum tempo sem filhos. Desde que o 3º nasceu que não tenho nem umas horas...

Cool Mum disse...

O salto de 2 para 3 é mais fácil, sim.

A prazo um bocadinho mais longo, também acho que melhora. A mais nova tem agora 5 e ainda este fim de semana me espantei com a facilidade com que se fica em casa 2 dias inteirinhos e sem grandes gritarias.

Ana Sousa disse...

Ok.. agora vou sair de fininho e fingir q não li isto.

:p

flores disse...

estou com a mar e com a sousa: vou fingir q não li nada disto. :D

Susie disse...

Fico muito feliz por ti :)

Ainda que tenha a certeza que comigo não ia ser nada assim (isto vai mais das mães do que do miúdos, às vezes).

Anónimo disse...

que bons conselhos para quem já decidiu que o tema de 3 filhos é só a ponderar quando conseguir respirar :-) e ter 10 min para limar as unhas no sofá.
Um dos teus melhores posts. Gosto muito.
Beijinhos,
Paula

Madame Pirulitos disse...

Gostei também muito deste post, como já foi aqui frisado. A mim dá-me alguma paz de espírito para os tempos que se avizinham.
os meus dois separados são muito calmos. O pior é que quandoe stão juntos, e estão se não sempre, quase, quase sempre, é uma grande balbúrdia e gritaria. Vamos ver se agora o terceiro traz mudanças nesse aspecto aos outros dois índios.
Também me parece que outra coisa que vou perder é os fds esporádicos em que os sogros ficam com os dois. Aí sim, de dois para três, na casa dos outros, faz muita diferença, já percebi!

Beijinhos grandes

Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

ser mãe de três depende muito da idade que tem o mais velho quando o terceiro nasce. para mim foi turbulento, a mais velha tinha 3 anos e meio e a do meio 1 ano feito no dia anterior. Mas adaptámo-nos e tudo é possivel.

mãeee disse...

Gostei muito deste teu texto e revi-me em parte nele. De 2 para 3 o cansaço maior verifica-se agora, com 3 anos de distância desse salto: tenho 3 filhos com necessidades únicas e especiais e desdobrar-me em tantas torna-se complicado por vezes.
Há aspectos nos quais não senti nenhuma ou muito pouca diferença, agora quanto aos aopoios por parte de terceiros ... aí notei muita, mesmo muita. Desde que o mais novo nasceu que é raríssimo termos momentos só em casal; uma noite a dois fora de casa é mentira ... mas compensa? definitivamente.
Tanto que tenho de sair de mansinho para não sentir vontade de acariciar uma barriga prenha que sai de mim ...
beijos

mãeee disse...

Gostei muito deste teu texto e revi-me em parte nele. De 2 para 3 o cansaço maior verifica-se agora, com 3 anos de distância desse salto: tenho 3 filhos com necessidades únicas e especiais e desdobrar-me em tantas torna-se complicado por vezes.
Há aspectos nos quais não senti nenhuma ou muito pouca diferença, agora quanto aos aopoios por parte de terceiros ... aí notei muita, mesmo muita. Desde que o mais novo nasceu que é raríssimo termos momentos só em casal; uma noite a dois fora de casa é mentira ... mas compensa? definitivamente.
Tanto que tenho de sair de mansinho para não sentir vontade de acariciar uma barriga prenha que sai de mim ...
beijos

Mae Frenética disse...

Que bom!
:))

Blog Archive